quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Deixe aqui seu depoimento

Em depoimento por escrito, o professor Ernst W Hamburger, Prêmio Kalinga de Popularização da Ciência e  diretor da Estação Ciência/USP de 1995 a 2003, deixou as seguintes palavras sobre o Clicar, em um dos muitos calendários anuais do projeto, que tanto sucesso fizeram:

“A Universidade de São Paulo (USP) é a maior universidade de pesquisa do país e ministra bons cursos superiores. Entretanto só pequena parte da população tem acesso ao conhecimento. A Estação Ciência é órgão da USP para difundir o conhecimento a todos setores da população, mesmo àqueles que não estão na escola, mesmo àqueles que não têm casa. O Projeto Clicar mostra como se pode despertar o interesse de crianças que vivem na rua, pela escrita, por linguagem, por técnica e ciência, e ao mesmo tempo dar alegria de viver e esperança”.

Solicitamos a todos que construíram, apoiam e que gostariam de apoiar o Projeto Clicar,  para que também registrem aqui seu depoimento e comentários.
Agradecemos a todos.

47 comentários:

  1. Já ouvi falar do Projeto Clicar, e somente coisas boas. Admiro muito o projeto e as pessoas que trabalham por ele, que dão o suporte e ajudam pessoas que tem "sede de saber" porém não possuem condições financeiras/socias para isso. Com isso, ao plantar essa semente nas crianças, existe a possibilidade de mudança!

    PARABENS A TODOS QUE PARTICIPAM E LUTAM POR ESSA INICIATIVA!!!

    ResponderExcluir
  2. Conheço o Projeto Clicar pois moro da região da Lapa e sempre passo próximo ao local onde fica localizado. O trabalho do Projeto é MARAVILHOSO, pois além de tirar um pouco as crianças da rua e dar instrução e oportunidades de aprendizado, da esperança a elas. Com a internet elas passam também a conhecer um outro mundo, que nem sempre tem a oportunidade de viver.
    PARABÉNS A TODOS OS COLABORADORES DO PROJETO E QUE CONTINUEM NESSA LINDA MISSÃO!

    ResponderExcluir
  3. O Projeto Clicar faz um trabalho absurdamente sensacional ao acolher crianças e despertar nelas os mais elevados sentimentos de cidadania, humanidade, esperança e desenvolvimento pessoal, com a maior naturalidade sem direcionar ou tutelar de nenhuma forma.

    É uma instituição que tem minha mais profunda admiração porque ajuda pessoas com menos acesso ao conhecimento e lhes proporciona conhecer um mundo novo com novos saberes e possibilidades.

    ResponderExcluir
  4. Marília Maia (Estudante de Direito - PUC/SP)5 de novembro de 2010 15:27

    Aproveito o espaço para parabenizar os educadores e todos os responsáveis pelo lindo trabalho realizado no Clicar.

    Conheço o projeto há um bom tempo, bem como algumas crianças e, consequentemente, a história de suas vidas. Sei o quanto elas são gratas por essa oportunidade de desenvolvimento intelectual proporcionado pelo espaço e quanto isso significa no dia a dia delas.

    Em meu nome e em nome das crianças, que são tão beneficiadas pelo Clicar, agradeço por tudo e, principalmente, parabenizo, mais uma vez, o trabalho incrível feito nesse espaço de cultura e lazer.

    ResponderExcluir
  5. Renan Cunha da Silveria (Eudante de Direito - PUC/SP)5 de novembro de 2010 23:26

    Conheci o Projeto Clicar através de um dos educadores e após isso só tenho ouvido coisas boas sobre ele, tanto de outros educadores, como de alguns frequentadores e terceiros que se surpreenderam com o ótimo trabalho feito com as crianças, que precisam tanto desse espaço.

    Parabéns a todos!

    ResponderExcluir
  6. Tomas Nunes Castilho7 de novembro de 2010 01:50

    Alguns lugares são únicos e, infelizmente, raros.
    Lugares que tentam, diariamente, transpor a barreira da constitucionalidade de leis e direitos abstratos.
    Lugares em que as crianças são ouvidas. Seus gestos respeitados; sua criatividade e ideias valorizadas.
    Lugares únicos. E também imprescindíveis.

    Saudades de todos
    Tomas

    ResponderExcluir
  7. Isabela Raposo Cruz7 de novembro de 2010 18:10

    O trabalho do Projeto é ótimo, e raro, afinal pouquíssimos prestam uma assistência com tanta qualidade às crianças de rua.

    Parabéns a todos os colaboradores do projeto e que continuem a oferecer tal oportunidade!

    ResponderExcluir
  8. Registro meu apoio ao excelente Projeto Clicar e espero que ele continue na Estação Ciência, mostrando que a Universidade de São Paulo segue sendo fiel a seus princípios democráticos.
    Parabéns ao Clicar e, desde já, também à USP.
    helena meidani

    ResponderExcluir
  9. Letícia Maria de Campos8 de novembro de 2010 15:22

    O Projeto Clicar oferece a quem tem tão pouco um espaço em que essas crianças podem buscar conhecimento, aprender a amar a leitura, a ciência, o saber. Acho importantíssimo que essas atividades sejam mantidas, preservadas e, sempre que possível, ampliadas. Esse é o mais importante dever da Universidade. Parabéns a todos os envolvidos nesse projeto excepcional.

    ResponderExcluir
  10. Laura Furine - Estudante de Psicologia PUC-SP8 de novembro de 2010 17:15

    Frequentei o Clicar durante 6 semanas como atividade de uma das disciplinas de minha Faculdade. A princípio, desejava observar como as crianças se comportavam frente ao mundo da internet. Porém, ao chegar lá me deparei com um local e trabalho muito diferentes do que havia imaginado. O espaço não é formado só por computadores e pessoas que ficam olhando as crianças assistirem vídeos, jogarem e mandarem e-mails. É algo muito maior. São realizadas atividades diariamente que contribuem não só para um conhecimento cultural dessas crianças, mas também para um crescimento pessoal e desenvolvimento de sua identidade. As crianças são tratadas como iguais, o que é difícil vermos acontecer em sua realidade. Lá elas aprendem o que é respeitar, o que é ser respeitado e, principalmente, que é possível mudar, pois há pessoas que acreditam em sua capacidade e dedicam todo seu carinho a elas.
    Diria que minha experiência no Clicar foi muito mais do que um aprendizado acadêmico, foi um crescimento pessoal. Somente quem disponibiliza um pouco de seu tempo para acompanhar esse trabalho e as crianças que estão lá é que pode conhecer a essência do Clicar. As crianças me surpreenderam a cada visita que fiz, com seu modo de ser e de ver o mundo. Tenho certeza de que tudo o que podem aprender quando estão com os educadores apenas contribui para que desejem cada vez mais uma realidade melhor e um mundo mais justo.
    Sei das dificuldades dessa relação, mas acredito que todo ser humano pode mudar quando desejar. Não é punindo ou excluindo essas crianças que teremos uma sociedade mais justa. São trabalhos como esse que possibilitam que um novo olhar seja criado, e, quem sabe, ajude o pouco que for para a transformação que todos dizem tanto desejar ver acontecer.

    ResponderExcluir
  11. Digo não à política uspiana de expulsar aqueles que não pertencem ao seu seleto clube elitista, restringindo o acesso do povo à universidade! Pela continuidade do projeto clicar!

    Pedro José Sibahi, estudante de Jornalismo da ECA/USP

    ResponderExcluir
  12. Olá, eu lembro de um dia estar andando pela lapa e encontrei o clicar, la eu encontrei uma casa e duas mães maravilhosas que dava antenção para todos, esse é o Projeto clicar e minhas maezonas Dirce e Cecilia, minha relação com o clicar não foi e nem é um sintemento passageiro, é um sentimento muito inteso de amor e brigas, la eu aprendi tudo que eu sei hoje de computação, o projeto me ajudar com a escola, abilidades que eu nem saberia que eu poderia praticar, teatro, edição, filmegem, reciclagem, tanto que hoje em dia eu tenho trablaho na TV Cultura, eu tenho uma divida um enorme com o projeto clicar e com essas duas maravilhosa guerreiras que mateve o projeto deis de 1995 até hoje, sou muito grado e sempre estarei do lado delas e do projeto.
    Eu amo o projeto Clicar e a Dirce e a Cecilia, nunca deixarei vcs....
    Hoje eu sou o que sou graça a vcs!!!!!


    Ronaldo Montalvão

    ResponderExcluir
  13. Há aproximadamente 5 anos fiz contato com o projeto Clicar recolhendo depoimentos de dois de seus participantes para o livro Nosso Diário que busca traçar um amplo perfil da sociedade brasileira.
    Pude, então, comprovar a grande diferença que o projeto havia feito na vida dos entrevistados.
    Por essa razão, defendo a manutenção do Projeto Clicar como ferramenta de inserção social importante. Sua localização na Estação Ciência também é fundamental por incentivar, mais ainda, a cidadania de quem, por motivos diversos de ordem socio-economica se viu dela privado.
    Benjamin Prizendt

    ResponderExcluir
  14. antonio souza santos10 de novembro de 2010 16:44

    PROJETO CLICAR UM LUGAR ONDE NOS TODOS PODEMOS SONHAR ACORDADOS
    Oi meu nome é Antonio tenho uma historia para dizer de um projeto chamado clicar aonde eu vi muitas crianças,juntas num espaço onde podia ler brincar e uma coisa que eu achei diferente utilizar o computador para navegar na internet e outras utilidades.foi aonde que conheci amigos e amigas diferentes de outros que eu convivia juntos aonde eu morava ,eram meninos e meninas muitas dessas crianças moravam na rua e foi ai que vi o que era preconceito entre aquelas crianças,mais não ligava para essas coisas eu comecei a vir a esse espaço e a cada dia que eu vinha a este lugar aprendia muitas coisas novas e foi passando o tempo outros foram chegando a este lugar e aumentando aquele grupo, passarão dois anos e eu vi que aquele lugar me serviu em varias coisas entre o que aprendi e pude mostra a outros o que aprendi no projeto ;clicar e foi passando anos e anos mas sempre o projeto clicar foi aberto a todos que querem conhecer,mais este espaço depois de ter passado um bom tempo esta chegando ao fim destruindo todos os sonhos construídos nesse local poderia dizer que aqui foi a terra do nunca aonde todas crianças podia ser feliz
    $$$$$$$$$$ f i m
    $$$$$$$$$$$$$$$$

    ResponderExcluir
  15. Beatriz da Rocha da Silva10 de novembro de 2010 16:47

    Acho o Clicar legal porque posso jogar, usar o computador, desenhar. Gosto muito dos tios. Do tio Marcelo e da tia Zeza. Gostava muito de visitar a Estação, ver as cobras, os bonecos do corpo-humano, do planetário, do terremoto, gostava de tudo daqui. Gostava de algumas atividades e de ir aos passeios.
    O que mais vou sentir saudade no Clicar é dos tios, da Cecília, da Dirce, dos “guardinhas” e de desenhar.
    Beatriz da Rocha da Silva.

    (A Bia teve ajuda do educador Everton para digitar)

    ResponderExcluir
  16. Josi

    Legal
    Eu gosto dos educadores
    Se o Clicar acabar vai ser triste porque nunca mais eu vou ver a tia Clarissa. E os outros tios.
    Eu também estou com saudade do Tomás, nunca mais vi ele. Ele era legal também.
    Depois que eu conheci o Clicar eu aprendi um pouquinho a ler, foi isso que a professora disse, que eu aprendi um pouquinho a ler. Eu pegava um livro pra ler.
    Aquele brinquedo até que vocês expulsaram a gente porque a gente estava bagunçando. (Epidemik)
    Antes de eu vim pro clicar eu sempre mexia no computador, mas aqui é legal.

    ResponderExcluir
  17. Rosas sam vermelhas
    violeta é azu
    mais eu nuca gostei de um lugar como
    Do clicar m
    ais eu sei que eu clarissa a ni eu evertom eu esrael mais tava bom marciel até mais pesuau
    Gostar do progéto clica marciel declarando o que senti eu vou
    Sem ti muita saudade do clicar como eu sei que osoutros
    Tanbei vai sem ti sal da des até mais pesoal....

    ResponderExcluir
  18. nataliel de souza borges10 de novembro de 2010 16:52

    Eu axo que e muito legau e que não podi acaba vai fica muito difiçiu para a gente eque esas criansas que nesesitan diso

    ResponderExcluir
  19. Tamires da rocha da silva10 de novembro de 2010 16:53

    Eu venho no clicar porque não tem nada para fazer em casa. Poderia ir para a rua ou para outro lugar, mas o Clicar é mais legal.
    Eu vou ficar com saudade da Bia da Estação, da Zeza também

    ResponderExcluir
  20. virtor manuel de oliveira santos10 de novembro de 2010 16:55

    Obrigados tias e tios
    Por tudo isso
    Eu sei que eu enchia o saco de vocês para por os jogos
    eu sei que o clicar vai fechar

    ResponderExcluir
  21. Eu gostaria de falar primeiramente que com o fim do projeto sinto q estão tirando uma enorme parte não só do meu coração como de todas as pessoas do clicar, e gostaria de dizer que ele está destruindo muitos sonhos como o meu de poder terminar os meus estudos e poder trabalhar no projeto clicar.
    Mas mesmo assim essa é só uma barreira da vida e eu vou tentar superá-la.
    O que eu queria era apenas ajudar as crianças do clicar á se dedicarem mais a os estudos,passar para ela oque eu aprendi, para que a vida delas possa melhorar como a minha também melhorou quando eu voltei pro clicar.
    • Também aqui no clicar eu formei um certo vinculo alem de aprender eu formei uma família que eu gostei muito de ter como;a Clarissa,tia Ni,o Everton,o Israel,o Alex,o Douglas,o Luiz,a Cecília,a Quiuci que é muito antiga mas em fim nós precisamos muito desce projeto,sem ele muitas pessoas vão ficar nas ruas,se meter com coisas erradas e esse projeto ajuda elas a não fazerem coisas erradas, então precisamos desce apoio mais que nunca espero que oução meu pedido.

    ResponderExcluir
  22. Andre de Lira, 14 anos

    Eu aprendi muita coisa no Clicar. Aprendi a fazer trabalho, a mexer no Orkut. As atividades são legais, aquela de fazer foguete e as flores.
    Faz uns cinco anos que eu vim no Clicar pela primeira vez.
    Teve o passeio da Petrobras, da fórmula 1 e o teatro. Teve as fórmulas 1 passando correndo, o Lucas e o Rafael e o Cícero foram, foi quase todo mundo do Clicar.
    O tio Marcelo era “da hora”, ele zuava com o Lucas. O Felipe também era legal comigo.

    ResponderExcluir
  23. bruna da rocha da silva10 de novembro de 2010 16:59

    Eu venho ao Clicar desde quando eu era muito novinha. Eu vinha aqui pra mexer no computador e pra brincar. Se não viesse aqui eu ficaria em casa ou iria pra escola. Mas eu gosto de vir aqui, pra brincar de brinquedo, escutar historinhas, pra jogar joguinho de CD, pra desenhar e escutar músicas. Eu gosto muito dos tios porque eles são legais comigo,

    ResponderExcluir
  24. Bom, muita gente que vem aqui no clicar quer fazer trabalho, e muitas outras coisas, a pessoa que era ou foi o responsável que cuidou daqui, era ou é uma pessoas boa, porque muita gente que não tinha nada para fazer e crianças que vivem na rua que estão aqui não estão na rua seguindo mal caminho, pessoas que vem aqui querem passar o tempo, conhecer novas amizades, e aprender algo.Então fechando o clicar não esta fazendo mal a eles, esta fazendo mal a si mesmo.

    ResponderExcluir
  25. Karina da Rocha da Silva10 de novembro de 2010 17:06

    Por que fechar o clicar?Aqui eu aprendo a gostar de ler, faço as oficinas, diferente da escola aqui eu me sinto melhor para fazer as coisas. Aqui, eu me sito aceita! Se eu não tiver esse espaço para freqüentar vou passar mais tempo na rua. Não que seja ruim afinal tenho os meus amigos lá, mas eu não quero ficar só na rua.

    (A Karina teve ajuda do educador Everton para digitar)

    ResponderExcluir
  26. nathielly cristina de oliveira santos10 de novembro de 2010 17:11

    Projeto clicar em tristeza

    Comecei a vim no projeto clicar em 2009 no finalzinho conheci por que vim com o meu vô visita-los.
    E foi uma coisa que a tarde inteira eu passava...
    Mais como já estar no final do ano então agora no final de 2010 estar acontecendo muitas coisas triste aqui no clicar então quero que alguém os ajude para ñ fechar gosto muito de vir aqui eu gosto de: usar o computador jogar com os tios e etc... ñ vou na lan housse prefiro vir aqui as tias quem me educam então é uma triste ñ quero que fecha e você? Gostoooooo muittoooo dos educadorreeessss !!!
    Não gostava de ler e nem de fazer leitura e nem desenhar agora eu ADORO MAIS QUEM ME ENSINOU?ASSSS TIASSSS!!!ou os tios!!!

    ResponderExcluir
  27. Nayara dos Santos Oliveira10 de novembro de 2010 17:14

    Nayara, Gabriela e Krisam

    O primeiro dia que eu vim no Projeto Clicar:

    A minha prima Amanda falou que era legal aqui no Clicar e eu vim e trouxe meus irmãos, visitamos a Estação Ciência, vimos as cobras, os peixes, a máquina que dá choque e depois viemos aqui no Clicar. Achamos aqui muito legal e interessante, fiquei triste em saber que vai acabar o Clicar porque eu só vim uma vez, mas vou continuar vindo aqui até o dia que não tiver mais.

    (Nayara contou e a educadora Ni escreveu.)

    ResponderExcluir
  28. LETICIA GOMES DE JESUS10 de novembro de 2010 17:17

    OPROJETO CICLAR EU VOU SEMTI SALDADE DE TODOS EU ACHO ACHO NAO VCSE MAS EU SETIR MUITA MAS SALDADE BEIJUS VOL SETIR MAIS MUITA SALDADES DE TODOS TOMARA QUE MUDE DE IDEIA

    ResponderExcluir
  29. venancia barboza bonone10 de novembro de 2010 17:31

    tem dificudade para mecher no conputador para mim aqui e muito legal todos dao muita atensao oclicar emuito bom para muitas criansas aprende coizas novas por isso se tirar o projeto clicar muita gente vai sentir falta detodos os til edetudo que tem aqui obrigado projeto clicas

    ResponderExcluir
  30. Lucas Costa Freires11 de novembro de 2010 14:50

    Ola meu nome é Lucas , e eu to no clicar desde 2005 ,o clicar não é só um projeto pra pra varias crianças é um pai uma mãe uma família , por que poxa varias crianças não tem uma família legal um pai que se preocupe bastante com vc ou te de uma bronca por que você fez uma besteira , muitas vezes vc chega em casa e apronta uma seu pai ou mãe nem procura sabe sua versão ou nem conversa já começa a bater, ou te xinga e por ai.
    As vezes eu ouvia as tias falarem que iam ligar na escola de algum colega pra ver se ele tinha cabulado aula , eu ficava imaginando por que faltavam na escola pra vir no clicar eu acho é por que eles se sintam mais a vontade aqui do que na escola onde vc é xingado, ou te discriminado por que vc ta com uma roupa rasgada ou por que vc ta sujo,algo assim , na escola os professores (a) passam a lição e pronto sua opinião não importa mais aqui importa na oficina nos sentamos em circulo isso que dizer minha opinião importa aqui isso e muito bom saber que vc é importante .
    Ai eu chego hoje e a tia Ni me diz que ano que vem não vai ter mais clicar, po eu fiquei chateado muitas crianças de rua vem aqui e brincam aprendem conversam sem se preocupar que amanha vai ter vão vim de novo mais depois das férias alguen que não vem alguns dias , pode vim e cadê o clicar ele vai sentir falta vai fuçar um branco onde ele vai conversar e brincar sem ser discriminado ,vai ser chato meu.
    É isso espero que com os depoimentos de todos que vem no clicar alguma coisa mude. É isso, um pouco do clicar em cada criança espero que mude pra melhor...

    ResponderExcluir
  31. Cláudia Malinverni, jornalista12 de novembro de 2010 16:42

    A raridade de uma ação, sua beleza, seu alcance se mede pela capacidade de alterar, para melhor, textos e contextos. Nesse sentido, o Clicar é emblemático: um lugar especial de inclusão, talvez único numa cidade formada e conformada com a exclusão. Ao ler os depoimentos das crianças acolhidas, fico ainda mais tocada pelo alcance deste projeto. Que esses testemunhos cheguem aos gabintes da burocracia institucional com força para sensibilizar os dirigentes de plantão. Vida longa ao Clicar!

    ResponderExcluir
  32. JUSSARA-VENDEDORA PROJETISTA12 de novembro de 2010 17:11

    PROJETOS DE INCLUSÃO SOCIAL SÃO CADA VEZ MAIS RAROS,PRINCIPALMENTE EM SÃO PAULO!!NÃO DEIXEMOS ESSAS CRIANÇAS,Q TEM TÃO POUCO,FICAR AO ABANDONO TOTAL,QUE ELAS POSSAM TER 1 CANTINHO EM Q SE SINTAM AMADAS E ACOLHIDAS,VIVAA O PROJETO CLICAR!!!!

    ResponderExcluir
  33. Projeto dos sonhos, maravilhoso, que visa salvaguardar crianças abandonadas, tira-las das drogas e do desvio de maus caminhos , deveria ser bandeira de qualquer pessoa. Estamos juntos!

    ResponderExcluir
  34. Quero o clicar de volta!!!! essas crianças precisam desse espaço que as mantém longe das ruas e portanto longe das drogas.
    Precisam desse espaço que as inclui socialmente, que as ensina a lêr que dá esperança para um futuro melhor!!!!!Precisamos de mais e mais espaços como esse e não o fechamento deles.

    ResponderExcluir
  35. Deixo aqui o meu apoio ao excelente Projeto Clicar e espero que ele continue na Estação Ciência.

    ResponderExcluir
  36. Ricardo Fernandes de Menezes14 de novembro de 2010 21:08

    Caros e caras,

    Enfatizo meu apoio ao Projeto Clicar e espero que ele continue na Estação Ciência.
    Ricardo Fernandes de Menezes, médico sanitarista

    ResponderExcluir
  37. Projetos como o clicar não podem e não devem acabar! Temos que batalhar, sim, para que recebam cada vez mais apoio e sejam amplamente divulgados.
    Gilda Lima, designer

    ResponderExcluir
  38. Creio que um projeto como este, notoriamente de imenso valor para a inclusão social de crianças menos favorecidas, deva não apenas ser mantido na Estação Ciência, como ampliado e aprimorado em prol daqueles que tanto necessitam. Basta ver alguns depoimentos das crianças atendidas pelo Projeto Clicar para ter a certeza de que este é de fato um espaço singular e imprescindível e, portanto, deve ter vida longa, muito longa.
    Parabéns aos colaboradores!

    Marlene Valensuela, jornalista

    ResponderExcluir
  39. Iniciativas como o Projeto Clicar, são fundamentais numa sociedade que possui fortes discrepânciais sociais. Por estar dentro de um centro de difusão científica ligado a uma universidade pública, aumenta a sua relevância, incluindo crianças e adolescentes através da educação informal, no espírito da curiosidade e do interesse, o que é fundamental para seu desenvolvimento, tanto dos jovens como do próprio projeto. Parabéns ao trabalho realizado, e vida longa.

    Bruno Cardoso - Estudante de Pedagogia

    ResponderExcluir
  40. Aqui no projeto clicar eu aprendi muitas coisas, como a astronomia,matematíca,fisica, e diversas coisas.
    Eu gostaria de aprender muito mais.
    Eu até fiz um certo vinculo de amizade e considero-os uma familia,sem o clicar eu não sei oque que eu aria fezer porque do clicar eu vou direto para escola, e sem vir pro clicar eu iria ficar muito triste.
    Aqui no clicar eu até mudei meu comportamento, eu não gostava de jeito nenhum de ler, até que um dia a tia Clarissa me deu um livro do Harry Potter, e eu gostei muitissímo desse livro.
    Isso é pra você ver qual é o objetivo do projeto clicar.
    Obrigado clicar por tudo isso

    ass:everson mamedes

    ResponderExcluir
  41. Lamentável que um projeto tão bonito esteja em uma situação de incertezas como essa. O governo precisa designar um local para que o projeto continue funcionando! Não é possível que sejam tão irresponsáveis. Um abraço a todos que fazem o projeto Clicar

    ResponderExcluir
  42. Michaelzinho, 24/11/2010

    Quando eu comecei a freqüentar o Clicar a gente tinha um computador só. Depois a gente ficou com dois computadores e aí nós conseguimos um espaço aqui do lado e aí foi quando o Clicar começou a crescer. Acho que foi em 1997 que o Clicar começou de verdade. Começou a ter mais computador e mais adolescente.
    Muitas da vezes quando eu vinha eu não podia entrar porque ou eu estava cheirando cola ou eu tinha aprontado e não podia mais entrar. Eu sempre andei com uns amigos que hoje só sobraram 2...eu e mais uma pessoa. Dos que não estão aqui hoje muitas afundaram no crack, uns estão presos, outros até morreram.
    O “Tiririca” morreu por causa de droga...foi assassinado. O Rodrigo está preso...157. A Gabi só fica fumando crack e pegou AIDS também...a outra pessoa que sobrou trabalho na mesmo lugar que eu é a Daiane.
    Desde quando eu venho aqui no Clicar eu aprendi que nem tudo que a gente pensa é tão bom, tipo a vida do crime. Eu falo porque quando eu me libertei a tia Zeza disse pra mim “quando você estiver usando droga ou roubando, pare e pense.” Foi aí que eu comecei a pensar: “o que vem fácil, vai fácil.” Quando você pega uma fortuna o seu nome fica falado. Quando a polícia não te pega, seus próprios amigos te matam por causa do dinheiro.
    Eu comecei a pensar nisso depois que eu fui preso, fiquei estudando lá dentro do CDP sobre a vida do crime. Porque o crime não compensa. Porque o final é triste.
    O que o Clicar fez de importante pra mim foi ter me ensinado a ler, escrever, me ensinou a ter respeito com as pessoas, me ensinou a educação. Uma das coisas que eu mais gosto no Clicar é o respeito que todos têm com todo mundo.

    ResponderExcluir
  43. Expresso aqui meu veemente protesto contra a remoção do Projeto Clicar da Estação Ciência. Como química, ex-aluna da USP, entendo que o Clicar é motivo de orgulho para a Universidade, tal a relevância dos serviços que presta.
    Vida longa ao Clicar na USP!

    ResponderExcluir
  44. Cátia Lambert Santos3 de dezembro de 2010 14:18

    Um projeto social com 15 anos de existência e uma longa história de responsabilidade e atenção à crianças deixadas à margem da sociedade.
    Extremamente triste a situação que se encontra agora!
    Não faz o menor sentido acabar com um projeto tão bonito que funciona atendendo ao público dentro de um espaço público. O que há de errado em continuar?

    ResponderExcluir
  45. MAYARA P SANTOS:
    Eu digo que se o clicar acabaar como as crianças carentes vão ficar, ali é o unico espaço onde ela aprendem brincando...
    eu conheci o projeto clicar em 2006 hoje estamos em 2010, e eu aprendi muita coisa que eu não sabia...
    Depois de conhecer o Clicar nunca Precisei de Curso para aprender a mecher em um computador, eu participei do teatro, do quebra, e varias outras oficinas que tinha no clicar e eu acredito que ainda existem, quando eu Precisava de ajuda em trabalhos de escola eu não ia pra biblioteca eu ia ao CLICAR, soh ali eu descobri oque eu realmente quero seguir proficionalmente, no clicar eu descobri minha vocação...
    NÃO VAMOS DEIXAR O CLICAR ACABAR, VAMOS PENSAR QUE HA CRIANÇAS PARA SER AJUDADAS E PARA QUE ELA NÃO FIQUEM NO MAL CAMINHO, POIS TODA CRIANÇA MERECE UM ESPAÇO PARA APRENDER E BRINCAR...
    BJOS A TODOS QUE ESTÃO LUTANDO PELO CLICAR!!

    ResponderExcluir
  46. Ola amigos do Projeto Clicar, meu nome é Cristiano estou no projeto praticamente dês de quando foi fundado aos meus 8 anos de idade e hoje tenho 21 anos. Trabalho com manutenção de computador amo filosofia e psicologia Jung. O projeto vem me mostrando conhecimento pessoal e profissional sou conhecido como o homem mais sarcástico da minha turma, mas também um amigo que sempre esta La para escutar. Quero dizer um homem que leva 90% da vida na brincadeira pode também ser um homem serio e responsável basta ter amigos para te ajudar na educação, no conhecimento e cultivar o amor assim junto podemos crescer. O Projeto não me ensinou nada sobre minha profissão “Hardware” mais despertou o interesse sobre o assunto

    Hoje sou Técnico em Hardware, Web designer e trabalho com alguns programas que aprendi no clicar exe. Editores de Imagens, Vídeos, Áudio e Animação Flash e o próximo passo é fazer animação em desenho “dar vida ao personagem como Vídeos Charge” mais até lá [...]

    Não sei se posso postar meu site aqui mais graças ao projeto influenciando a cultura e o conhecimento esse é meu site http://www.concertrock.com.br/

    Em agradecimento Ernst W Hamburger, Diretor da E. C. na época em que conheci o Clicar Cecília Toloza, pois a todo esse tempo ela veio a frente desse projeto e o mais importa por ela ser uma amiga verdadeira e fiel também não posso esquecer da mulher mais brava que amo de mais Dirce você tem sido a minha mãe amiga P#T$s não estava no meu roteiro chorar ao escrever esse livro por isto é melhor para; Vida longa ao clicar Como diz o grande poeta Brasileiro do rock Renato Manfredini Júnior “Força sempre !“
    Vamos La vamos vencer “Quem acredita sempre alcança”

    Fuerza de siempre!

    ResponderExcluir
  47. Portuga não é pela nossa amizade antiga ou pela consideração mais tenho que adimitir suas palavras me comevem esprime as untimas gotas salgadas do meus olhos. um grande amigo que sempre me faz rir obrigado pois o Clicar se torno um só corpo, o clicar e seus amigos sempre estavara vivo em nossos corações.

    Fuerza de siempre!

    ResponderExcluir